Maca Peruana

Maca Peruana

Os estudos científicos aqui contemplados são para informação somente. Os resultados reportados não necessariamente ocorrerão em todos os indivíduos. A SetYou provê tal informação como um serviço gratuito e não recebe qualquer compensação pelos estudos referenciados.

A Maca é um alimento, da família do rabanete, cultivada na região central do Peru, nos platôs da cordilheira dos Andes, a aproximadamente 4 mil metros de altitude. Ela vem sendo cultivada nessa região há mais de 3000 anos. Seu nome científico é Lepidium meyenii, e muitas vezes é referida como ginseng Peruano.

No Peru, a maca além de utilizada como alimento é também tradicionalmente consumida pelo seu uso medicinal. As pessoas utilizam a maca para tratar anemia, melhorar a fertilidade, disfunção sexual e outras condições

Os estudos com a maca são significativamente recentes e ainda estão em seus estágios iniciais. Todavia, evidências relevantes já são mapeadas em diversos aspectos, principalmente com relação à libido, fertilidade masculina e seu potencial energético.

De forma geral, a maca é bem tolerada e os estudos até o momento não apresentam reações adversas significativas.

Estudos sobre a Maca Peruana

Libido Masculino e Feminina

Em 2002, um estudo duplo-cego, controlado, analisou os impactos da suplementação com maca por 12 semanas na libido de homens entre 21 e 56 anos. Já a partir da 8ª semana foi possível perceber melhora na libido. O estudo conclui que a maca possui efeitos positivos na libido masculina e que tais efeitos não estão relacionados à diminuição do estresse e ansiedade ou alteração nos níveis de testosterona e estradiol.

Em 2008, um estudo duplo-cego e controlado analisou os efeitos da maca em 20 pacientes com quadro depressivo entre 23 e 49 anos, sendo 17 mulheres. O estudo conclui pelos efeitos positivos da maca na disfunção sexual e libido, porém sugere que há impacto da dosagem nos resultados, uma vez que os que receberam 3g/dia apresentaram resultados significativos. 

Em 2009, em um estudo com 8 ciclistas do sexo masculino, a suplementação com maca durante 14 dias resultou em significativa melhora na libido quando comparado ao grupo de controle.

Uma revisão de 2010 analisou 17 bases de dados sobre estudos clínicos randômicos. O estudo sugere que há efeito significativamente positivo da maca sobre disfunção sexual e libido em mulheres saudáveis com menopausa e homens adultos saudáveis, além de efeito positivo também em disfunção erétil. O estudo conclui que a amostra ainda é limitada e recomenda por mais estudos rigorosos.

Em 2016, um estudo duplo-cego, controlado com placebo, analisou os efeitos do consumo da maca por 12 semanas em 175 participantes. De forma geral, os participantes que consumiram maca apresentaram maior desejo sexual, melhor humor, energia e apresentaram maior pontuação na qualidade de vida (Health Related Quality of Life Score) do que os que consumiram placebo. Houve diferença nos resultados entre a maca preta e a maca vermelha, provavelmente devido a suas composições, e ambas foram toleradas sem apresentar efeitos colaterais adversos significativos.

Outros estudos, como as revisões realizadas em 2009 e 2012, destacam os resultados positivos na libido bem como energia, fertilidade e humor, mesmo sem trazer clareza sobre os seus mecanismos de atuação.

Referências:

1 Effect of Lepidium Meyenii (MACA) on Sexual Desire and Its Absent Relationship With Serum Testosterone Levels in Adult Healthy Men.

G F Gonzales , A Córdova, K Vega, A Chung, A Villena, C Góñez, S Castillo, 2002

2 A Double‐Blind, Randomized, Pilot Dose‐Finding Study of Maca Root (L. Meyenii) for the Management of SSRI‐Induced Sexual Dysfunction.

Christina M. Dording Lauren Fisher George Papakostas Amy Farabaugh Shamsah Sonawalla Maurizio Fava David Mischoulon, 2008

3 A Pilot Investigation Into the Effect of Maca Supplementation on Physical Activity and Sexual Desire in Sportsmen.

Mark Stone , Alvin Ibarra, Marc Roller, Andrea Zangara, Emma Stevenson, 2009

4 Lepidium Meyenii (Maca): A Plant From the Highlands of Peru--from Tradition to Science

Gustavo F Gonzales , Carla Gonzales, Cynthia Gonzales-Castañeda, 2009

5 Ethnobiology and Ethnopharmacology of Lepidium Meyenii (Maca), a Plant From the Peruvian Highlands

Gustavo F Gonzales, 2012

6 Acceptability, Safety, and Efficacy of Oral Administration of Extracts of Black or Red Maca (Lepidium meyenii) in Adult Human Subjects: A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Study.

Carla Gonzales-Arimborgo , Irma Yupanqui , Elsa Montero , Dulce E Alarcón-Yaquetto , Alisson Zevallos-Concha , Lidia Caballero , Manuel Gasco , Jianping Zhao , Ikhlas A Khan , Gustavo F Gonzales, 2016

 

Exercício Físico e Energia

Três estudos com ratos de laboratórios ocorreram nos anos de 2001, 2008 e 2012 sobre os efeitos da Maca Peruana na performance durante exercícios físicos.

No primeiro, os ratos que consumiram Maca obtiveram maior tempo de resistência em testes de nado versus aqueles que consumiram placebo. Adicionalmente também relacionaram o aumento da concentração a uma melhor performance.

No estudo de 2008, todos os ratos foram submetidos ao mesmo tempo de exercício físico e os que consumiram maca apresentaram maior ganho de massa, maior stamina e energia. Além disso, o consumo de maca resultou em recuperação total ou significativa dos parâmetros sanguíneos, bem como danos musculares e hepatócitos ocasionados por exercício repetitivo, além de melhora na performance do nado. 

Já no estudo de 2012, os ratos, assim como no primeiro estudo, também foram submetidos ao teste do nado até a exaustão. Aqueles que consumiram a maca obtiveram resultado 25% e 41% melhor que aqueles do grupo de controle, com a variação explicada pela concentração de maca para cada grupo. Por fim, o estudo sugere que a suplementação com maca melhora a resistência, que pode, em parte ser explicada pela proteção ao estresse oxidativo induzido.

Em 2009, um estudo com 8 ciclistas resultou em melhor performance quando os mesmos consumiram maca por 14 dias antes do teste. Porém não houve relevância significativa estatística quando comparado ao grupo de placebo. 

Em 2016, um estudo duplo-cego, controlado com placebo, analisou os efeitos do consumo da maca por 12 semanas em 175 participantes. De forma geral, os participantes que consumiram maca apresentaram maior desejo sexual, melhor humor, energia e apresentaram maior pontuação na qualidade de vida (Health Related Quality of Life Score) do que os que consumiram placebo. Houve diferença nos resultados entre a maca preta e a maca vermelha, provavelmente devido a suas composições, e ambas foram toleradas sem apresentar efeitos colaterais adversos significativos.

Referências:

1 Effect of Aqueous Extract from Lepidium meyenii on Mouse Behavior in Forced Swimming Test

Bo Lin Zheng, Kan He, Zhen Yen Hwang, Yang Lu, Sui Jun Yan, Calvin Hyungchan Kim, and Qun Yi Zheng, 2001

2 Gelatinized and Fermented Powders of Lepidium meyenii (Maca) Improve Physical Stamina and Epididymal Sperm Counts in Male Mice.

S.H. Shin, D.S. Park, J.H. Jeon, S.S. Joo, 2008

3 A Pilot Investigation Into the Effect of Maca Supplementation on Physical Activity and Sexual Desire in Sportsmen.

Mark Stone , Alvin Ibarra, Marc Roller, Andrea Zangara, Emma Stevenson, 2009

4 Lepidium Meyenii (Maca): A Plant From the Highlands of Peru--from Tradition to Science

Gustavo F Gonzales , Carla Gonzales, Cynthia Gonzales-Castañeda, 2009

5 Ethnobiology and Ethnopharmacology of Lepidium Meyenii (Maca), a Plant From the Peruvian Highlands

Gustavo F Gonzales, 2012

6 Supplementation of standardized lipid-soluble extract from maca (Lepidium meyenii) increases swimming endurance capacity in rats.

Eun Hye Choi, Jung Il Kang, Jae Young Cho, Seung Ho Lee, Tae Seo Kim, Ik Hyun Yeo, Hyang Sook Chun, 2012

6 Acceptability, Safety, and Efficacy of Oral Administration of Extracts of Black or Red Maca (Lepidium meyenii) in Adult Human Subjects: A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled Study.

Carla Gonzales-Arimborgo , Irma Yupanqui , Elsa Montero , Dulce E Alarcón-Yaquetto , Alisson Zevallos-Concha , Lidia Caballero , Manuel Gasco , Jianping Zhao , Ikhlas A Khan , Gustavo F Gonzales, 2016

Fertilidade Masculina

Em um estudo de 2001, 9 homens, de 24 a 44 anos de idade, submetidos ao uso de maca peruana por 4 meses, apresentaram maior volume seminal, maior contagem de esperma por ejaculação e maior motilidade dos espermas. Os níveis de hormônios permaneceram inalterados e a dosagem de maca não interferiu no aumento da contagem dos espermas.

No primeiro estudo duplo-cego, randômico e controlado por placebo, 20 voluntários, entre 20 e 40 anos, foram submetidos ao uso de maca por 12 semanas. Os que consumiram maca apresentaram, ao final do estudo, maior contagem e motilidade seminal quando comparado ao grupo placebo. Não houve alteração hormonal.

Em um estudo com ratos de 2008, resultados semelhantes foram obtidos. Os animais que consumiram maca apresentaram significativo aumento na contagem de esperma após 14 e 28 dias de uso de maca.

Em uma revisão de 2016, 11 bases de dados foram analisadas e o estudo concluiu que há evidencia sugestiva para a efetividade da maca na melhora da qualidade seminal.

Referências:

1 Lepidium Meyenii (Maca) Improved Semen Parameters in Adult Men.

G F Gonzales , A Cordova, C Gonzales, A Chung, K Vega, A Villena, 2001

2 Gelatinized and Fermented Powders of Lepidium meyenii (Maca) Improve Physical Stamina and Epididymal Sperm Counts in Male Mice.

S.H. Shin, D.S. Park, J.H. Jeon, S.S. Joo, 2008

3 Lepidium Meyenii (Maca): A Plant From the Highlands of Peru--from Tradition to Science.

Gustavo F Gonzales , Carla Gonzales, Cynthia Gonzales-Castañeda, 2009

4 Ethnobiology and Ethnopharmacology of Lepidium Meyenii (Maca), a Plant From the Peruvian Highlands.

Gustavo F Gonzales, 2012

5 Effect of Lepidium Meyenii Walp. On Semen Parameters and Serum Hormone Levels in Healthy Adult Men: A Double-Blind, Randomized, Placebo-Controlled Pilot Study.

Ingrid Melnikovova , Tomas Fait , Michaela Kolarova , Eloy C Fernandez , Luigi Milella, 2015

6 The Use of Maca (Lepidium Meyenii) to Improve Semen Quality: A Systematic Review.

Myeong Soo Lee , Hye Won Lee , Sooseong You , Ki-Tae Ha, 2016